quinta-feira, 7 de junho de 2012

RELIGIÃO: Fé, Alienação, politica ou modismo?


Não quero e não pretendo fazer comparações entre religiões, mas todos nós sabemos o que Catolicismo sempre imperou. Nada contra a Bíblia, mas desde o antigo testamento até o Novo, não há nenhum relato Bíblico da CRIAÇÃO DA LEI DA INQUISIÇÃO. Por quê? Ahhh!! Por que um dos mandamentos da lei de Deus diz: “Não matarás”. Sendo assim não há como a igreja católica explicar como exemplo “As Caça as Bruxas” onde mulheres eram julgadas a pena de morte, queimadas viva, só por que consideravam bruxaria todas as práticas que envolviam a cura através de chás ou remédios feitos de ervas ou outras substâncias. A intolerância religiosa existe mesmo antes de Cristo, onde qualquer um que fosse contra a doutrina Cristã era condenado pelo tribunal da Inquisição ou as leis aplicadas a aquela época.
Este movimento atraia interesses políticos. Na Espanha no século XV se aproveitavam desta força para perseguir os nobres, principalmente os Judeus, matando-os e tomando assim os seus bens!
Hoje em dia pouco se fala sobre a Inquisição, mas há registros históricos dos fatos. Quando comentado o assunto, diz-se que o povo era o grande responsável pela a maioria das execuções, em minha opinião isso é querer se eximir da culpa. E assim foram 500 anos de acusações e mortes. Triste, não? Politicamente falando quando se questiona sobre o assunto me vem à lembrança a famosa frase do Lula referente ao mensalão: “Não sei de nada”; “Não vi nada”. Quem é que quer dar a cara para bater, não é mesmo?
Temos também as igrejas Evangélicas: Os “Famosos Protestantes”. Providos da certeza absoluta que somente seus seguidores serão salvos ao reino do céu, e não aqueles de qualquer outra Religião, crenças voltadas ao sincretismo ou outra doutrina contrarias as deles, onde em seus cultos, nos quais confesso já participei, parece fazer o exorcismo para abolir o capeta daqueles que vem das religiões denominadas por eles de “Adoradores do diabo”.
O Protestantismo, juntamente com a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa, é uma das três maiores divisões do cristianismo. Este movimento iniciou-se na Europa Central no início do século XV como uma reação contra as doutrinas e práticas do catolicismo romano medieval.
Em fim, se formos detalhar uma por uma, seria assunto que não acaba mais...
Segundo o evangelho segundo o espiritismo, o livro dos espíritos, o livro dos médiuns por Allan Kardec e outras mais como, Obras de Robson Pinheiro: Legião, Aruanda, Tambores de Angola; Teologia, Obras de André Luiz por Chico Xavier; O céu e o Inferno de Allan Kardec; Iniciação a Umbanda; Umbanda Sagrada... A igreja Evangélica seria a religião que nunca salva ninguém, só tenta ajudar a educação do espírito... Isso é uma coisa tão simples mais que poucas pessoas entendem... Acho que nem todos os “druidas” foram para o tal inferno... Druidas? Isso mesmo! “Druidas”, “Hereges” seriam as formas que nos titulariam anos, ou séculos atrás, mas como tudo andam se modernizando somos conhecidos como “Macumbeiros”, “Adoradores do Diabo”, “Feiticeiros”, “Demoníacos”.
A Religião-Afro-brasileira o que dizer dela? Bom... Em pesquisa diria que são consideradas religiões afro-brasileiras, todas as religiões que tiveram origem nas Religiões tradicionais africanas, que foram trazidas para o Brasil pelos negros africanos, na condição de escravos. Ou religiões que absorveram ou adotaram costumes e rituais africanos.
Umbanda seria na Wikipédia “uma religião formada dentro da cultura religiosa brasileira que sincretiza vários elementos, inclusive de outras religiões como o catolicismo, o espiritismo, as religiões afro-brasileiras e a religiosidade indígena”. “A palavra umbanda deriva de m’banda, que em quimbundo significa “sacerdote” ou “curandeiro” (macumba)”. Lá as informações expostas busca informar aos leitores da forma mais abrangente possível e sem discriminação ou preconceitos, pois todas as "Umbandas" têm suas razões de existir e de serem cultuadas. Dentro do que venho observado e acompanhado as opiniões de seus seguidores cada um tem a sua forma de cultua-la, e isso é FATO!
“Segundo os umbandistas, ou melhor, segundo a história de sua origem, ela foi criada em 1908 pelo Médium Zélio Fernandino de Moraes, sob a influência do Caboclo das Sete Encruzilhadas”.
O Candomblé também em pesquisa na Wikipédia teria a seguinte informação: “uma religião derivada do animismo africano, onde se cultuam os Orixás, Voduns, Nkisis dependendo da nação”. Sendo de origem totêmica e familiar, é uma das religiões afro-brasileiras praticadas principalmente no Brasil, pelo chamado povo do santo (...). Cada nação africana tem como base o culto a um único orixá. A junção dos cultos é um fenômeno brasileiro em decorrência da importação de escravos onde, agrupados nas senzalas nomeavam um zelador de santo também conhecido como babalorixá no caso dos homens e iyalorixá no caso das mulheres”.
Bom... Com concordâncias ou não, com pouco ou nada de informação dei inicio ao texto, verdade ou não, não caberá a eu responder, o pouco que aqui relatei foi baseado em pesquisas e opiniões sobre o que penso a respeito... Cada um com seus conhecimentos, experiências ou fontes de aprendizados poderá tirar suas próprias conclusões dentro daquilo que aprendeu.  Minha intenção não é debater conhecimentos, e sim expor o que penso referente ao que se trata a fé, modismo, alienação ou politicagem em que hoje colocam as religiões Afro-brasileiras.
Comparando ao passado, dentro do espaço onde hoje executamos nossas crenças, os cultos aos nossos ancestrais estão bem evoluídos hipocritamente falando.
A realidade não mudou! Nunca mudou! Apesar de conquistarmos pequenos espaços na sociedade, não queiramos nos iludir... Tudo isso não passa de politicagem ou modismo. Tudo que está na moda da IBOPE, e religião hoje em dia está na moda. Infelizmente existem aqueles que se corrompe que vendem sua imagem usando a Religião em beneficio próprio usando seus conhecimentos para deslumbrar a fé humana. E aqueles que se deixam levar por falsas promessas e ilusões não passam de alienados.
“DE FUNDO DE QUINTAL PARA O ESTRELATO”. Lindos slogans não acham? Ironia, não? Mas infelizmente está sendo assim... Antigamente a quem recordar nossa religião não passava de “seitas demoníacas”, éramos taxados de “macumbeiros de fundo de quintal”, “Bandos de adoradores do diabo”, se fosse à época de Inquisição, seriamos queimados vivos, se bem que a realidade hoje não é muito diferente, mas, quase a mesma coisa só que de uma forma mais mascarada, globalizada, e para garantir a absolvição criaram leis a nosso favor, mas, no entanto muitos são aqueles que usam isso para se promoverem ou ganharem força em beneficio próprio lutando em prol da causa. (Salvo algumas exceções, mas são raros).
Eu me convenci de tanto ouvir que “temos que primeiro nos organizar, organizar a casa antes de tentar organizar e mudar a realidade que nos cerca!”. Resumindo: De nada adiantara colocar ou escolher alguém para estar no poder, sem antes nos organizar ou colocar ordem entre nós das Religiões Afro-brasileiras, afinal das contas somos intolerantes entre nós, nunca chegando de forma coerente e sensata a um conceito. Admitem! É só olhar para o próprio ego e verá que tenho razão! Infelizmente é assim: O EGO fala mais alto.
As religiões Umbanda e Candomblé não tem bíblia, como as demais religiões que seguem uma doutrina “Padronizada” como mandam os seus ensinamentos, mas, no entanto deveríamos respeitar uns aos outros dentro daquilo que acreditamos conforme seus fundamentos, e isso na realidade não acontecem! Infelizmente não!
Nosso progresso talvez esteja em assumirmos quem realmente somos, em vestir a “camisa” e ir à luta, sem medo, sem vergonha... Adquirindo respeito pela ética, pela causa justa e verdadeira, sem em nenhum momento fazer da religião um êxtase momentânea só por que muitos a colocam como modismo. Por que falo isso? Bom, por que já estive presente em determinadas situações onde ouvir membros e não membros da nossa religião dizer: “Vamos investir por que Umbanda e Candomblé estão na moda”. Isso me fez crer que além de interesses políticos para auto se promoverem querem fazer da religião Afro-brasileira um sistema capitalista.
Não vamos deixar a nossa religião perder a sua essência, seus verdadeiros valores, e fundamentos, fundamentos e origens esses que nos emocionam, nos tiram lagrimas de emoção, não deixamos de lado nossas raízes, nossos verdadeiros propósitos dentro da nossa fé, naquilo que realmente acreditamos... Não vamos nos perder pela vaidade, pelo egocentrismo. Lutemos pelo nosso idealismo, mas dentro das nossas verdadeiras origens, e a que se originou a nossa Religião. Sejamos justo com nós mesmo e com a nossa religião antes de qualquer iniciativa. Vamos nos preparar, analisar, nos consertar, nos conscientizar...
Tem um ponto cantado de Preto Velho que diz: “Vovó não quer casca de coco no terreiro, para não lembrar os tempos de cativeiro...”. Sendo assim, vamos nos libertar sem fazer parte de um sistema capitalista, egocêntrico, cheio de vaidades e interesses próprios... Vamos agir pela fé, pelo amor a religião, pela causa justa. Simplesmente pela causa chamada fé e amor à religião.
Vamos limpar a nossa casa, mantê-la sempre limpa antes de querer limpar o mundo!
Religião nos traz sapiência e não alienação. Pense nisso!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Confira mais postagens deste blog!

Visitantes online